Incesto – Tio e sobrinho

Incesto – Tio e sobrinho

Eu quando era adolescente, ia sempre nas férias de escola, até à aldeia do meu pai, para casa de uns tios meus. Era uma pequena casa humilde, mas servia perfeitamente para se viver, o quarto de banho, era muito fraco, não tinha água quente, nem chuveiro, tomava-se banho numa bacia enorme, e aquecia-se a agua e depois enchia-se a bacia e era assim, quando se lavava a cabeça, alguém ia lá, e deitava depois, a agua pela cabeça a baixo.

Quando eu lá estava, quem me deitava a agua era o meu tio, eu teria aí os meus 18 anos, e a minha tia tinha alguma vergonha,(pensava eu) e por isso o meu tio era quem me deitava então a agua. Ele via-me todo despido claro, e um dia reparei que ele me olhava muito para o meu rabo, que realmente era jeitoso, arrebitado, pele muito lisa. Eu resolvi um dia, então ver até onde ia curiosidade dele e o interesse, empinei mais o rabo, dobrei-me para a frente a fazer de conta que apanhava alguma coisa, e sim, ele fitou-me o rabo que mais parecia que me queria violar naquele momento. Bom acabei o banho saí, enrolado na toalha, e foi quando ele disse, isso fazes bem tapar esse lindo rabo, senão ainda perco a cabeça, ao qual eu respondi dizendo – ó tio eu só embrulhei a toalha em mim, porque está frio, mas se quiser eu tiro, se isso o faz feliz. Eu era do Porto, já malandro e sabido-la, mas ele fez de conta que não ouviu. Isto foi por volta do meio dia, ele só trabalhava de tarde, ele então comeu e foi embora, como sempre só chegaria lá para as 11 horas da noite. Por vezes ele vinha tocado a vinho, e aí a minha tia mandava vir com ele muita das vezes eu sei que ia para a cama onde eu dormia, mas só que eu agora estava lá, e ele ficava na cama dele ou então vinha bem e não era corrido.

Mas no dia que aconteceu a história que estou a contar, não sei porquê, ele veio muito cedo. Ele sempre se deslocava de moto, e naquele dia, eu disse-lhe, ó tio vamos dar uma volta, até à vila? ainda é tão cedo! ele disse sim, podemos ir, e lá fomos, mas fui na frente dele, desculpou-se que assim eu ia mais seguro, não percebi, mas tudo bem. Às tantas, lá pelo meio dos campos, comecei a sentir que ele me apertava, muito pela cinta, e senti algo duro e quente encostado a mim, ele para a mota num descampado, era só videiras e oliveiras, e diz que precisava de fazer XIXI, e assim foi, abre a calça e abaixa com as cuecas e tudo, e fica ali, a mijar mas com o caralho bem teso, tanto assim que estava a ter dificuldade em mijar ou não tinha vontade conforme tinha dito, mas na verdade, não tirei os olhos daquela verga, que não era muito grande, 16 ou 17 centímetros, mas era muito grossa. Como ele reparou, que eu estava olhar, disse-me queres urinar? se quiseres faz para aí que não há mal, eu não tinha vontade, mas também quis mostrar o meu pau, teria o mesmo tamanho do dele, mas era mais fina, e vi que ele gostou do que viu.

Já tens um bom pau para as mulheres, já começas-te a foder? eu disse que sim, então já tens alguma experiência, chega aqui para eu ver. Aproximei-me dele, ainda com o pau de fora, ele também ainda estava com as calças para baixo, e diz! sim senhor bom cacete, já dá gosto olhar para ele! ó tio mas o seu é muito grosso, é melhor para as mulheres, pelo é aquilo que oiço, ó Zé, era assim que me chamava, ora pega na minha e eu pego na tua para ver a diferença. Assim fizemos, mas às tantas ele ajoelha-se e começa a mamar no meu pau, eu nem pestanejei, estava mesmo a ser tão bom, que nem refilei, o pior foi quando me diz, agora o mesmo a mim. Vi-me atrapalhado, porque nunca o tinha feito e também porque era muito grossa, mas fiz a mamada e soube-me muito bem,mas acabamos em punheta, ele a mim e eu a ele, e fomos para casa, no caminho ele me diz; olha que é um segredo só nosso, ao que respondi, não tenha receio, nada direi a ninguém.

À noite, estávamos já todos na cama, quando o sinto a vir ter comigo, e dizer olha vou dormir contigo, abre a cama, e fica arregalado, então tu dormes nu????sim, respondi eu, eu também costumo, e então se não te importas vou tirar as ceroulas. E lá ficamos os dois, eu virei-me para o lado da parede, de pernas encolhidas e de rabo arrebitado, ele fez o mesmo para o lado contrário, eu adormecia sempre rápido, mas e às tantas, acordei com ele a socar a gaita nas minhas coxas, fiz de conta que nada se passava e deixo-o encoxar até se vir, veio-se pegou num pano limpou-me todo e limpou-se também. Quando ele me limpava eu então fiz.me de acordado e disse, então tio!! o que se passa, ele diz, chiuuu, agora quero que me faças o mesmo a mim, ou então até preferia, que o fizesses à tua tia primeiro, porque ela está à tua espera. O quê?? sim vai lá que ela quer-te foder.

Mediante tal proposta, nem perguntei mais nada, pulei da cama, e fui ter com a tia Madalena, e ela quase me ralhou pois já estava à muito tempo, o teu tio demorou assim tanto tempo a vir-se? aí eu vi, que tudo já estava combinado entre eles. Não tia eu é estava a dormir e demorei muito acordar, o tio fodeu-me com muito cuidado, e por isso demorei mais. Então mostra-me lá o teu cacete, que o teu tio diz, que é muito bom, assim fiz, já com ele teso, pus-lhe à sua frente mesmo junto aos seus lábios, o que não se fez rogada e logo começou a mama-lo, mas que rico broche, eu gemi gemi, e dizia ó tia que broche, ande mame aí, beba o meu leite todo, chupe-me os colhões, comecei a balbuciar de uma forma desconectada, que às tantas esporrei-me todo que ela até se engasgou, quando eu ia sair, até porque o meu tio estava ali a ver tudo, ela disse, não não, agora tens de me ir à cona, tens que dar assim uma esporradela dentro da cona,

continua depois da publicidade

Não foi difícil, com aquela idade, o que mais temos é tesão, pus-me em cima dela ela em posição de galinha morta, meti-lhe o meu caralho todo de uma vez, ela gritou de loucura, entretanto o meu tio foi para a frente e meteu o seu caralho na boca, e ela mamava na posição de meio 69, e aí eu não gostei mas aguentei, é que o tio, começou a beijar-me feito louco na boca, até que me esporrei novamente agora dentro da cona, saio e o meu tio cai de queixos na cona dela, e começa a sugar toda a esporra que lá deixei, a tia só gritava, loucura, loucura, quero mais foda, mama aí filho da puta cornudo. Eles lá estavam naquela posição e quando eu pensava que para já tinha acabado, estava bem enganado.

O meu tio que olhava para mim, e gemia de tesão, voltei a ficar de pau teso, espera! aí disse o tio, a tia parou, e disse o que foi agora? ainda não me vim! e diz o meu tio,não é que o Zé está outra vez de pau feito! e enquanto fazemos o 69 ele vai-me foder no cu. Há!! diz ela, tá bem, assim também levo com os colhões dele na testa. E lá fui para a terceira foda. Cuspo-lhe no olho do cu meto um dedo, e logo lhe enfio o caralho até ao fim, o tio urrava que nem doido, lambia que nem doido a tia mamava gemia, gritava para ele meter o mais que pudesse a língua, pois estava quase a vir-se. Eu ao ouvir isto tudo, não me aquentei, comecei a dizer que me ia vir, a minha tia pega na minha piça, mete esse leito na boca dele, que vai gostar, assim foi, depois eles se beijaram e trocaram os leites todos.

Fomos dormir, e ao outro dia, o meu tio não trabalhar, porque queria foder sozinho comigo. Mas esta história fica para outro dia.

O Zézinho

1 comentário sobre “Incesto – Tio e sobrinho

  1. Família incestuosa fdp.Tesão da porra.Quisera eu foder tio e tia socar rola nos dele.Quero agradecer aos casais que enviaram imagens suas no meu whats e e-mail e mulheres sós que também me chamaram e enviaram imagens suas no meu whats e e-mail e,aos casais e mulheres do Maranhão Rio de Janeiro Paraná Minas Gerais Mato Grosso Pará Rio Grande do Sul toda São Paulo interior Capital ZN ZL ZS Taubaté
    Sigilo total e discrição exibicionista que goste de putaria com macho vcs funcionária pública gerente de lojas vendedoras sempre com sigilo total e discrição crentes gostosa me chamem
    [email protected]
    Onze nove cinco dois sete três meia dois quatro três
    Alec

Deixe um comentário


Online porn video at mobile phone