Tudo por acaso

Tudo por acaso

Tudo por acaso

Olá a todos ! Sou a Júlia, tenho 38 anos, 1,68 alt, clara , seios médios e bem durinhos , bumbum médio e pernas bem lisinhas , sou casada ha 17 anos .​ Vou​ contar um fato verídico que aconteceu comigo em janeiro.

A minha amiga mora com seu filho Lucas de 18 anos na outra Rua próximo a minha casa. Ela se separou faz pouco mais de uma ano. Gabriel é uma menino alto, magro e com algumas espinhas no rosto. Um rapaz normal que aceitou bem a separação dos pais. Sempre foi um rapaz tranquilo e sempre ia com sua mãe na minha casa, portanto Eu conhecia muito bem, aliás quando conheci sua mãe Ele era bem pequeno.

Em Um​ dia do mês de janeiro, Ela precisou fazer uma viagem para o interior de São Paulo, para visitar sua mãe que estava doente,​ iria sozinha, pois Gabriel não queria ir junto. Me pediu para dar uma olhada na casa e fazer comida para Ele, porque não gostava de comida requentada no almoço e na janta sempre comia lanches e pizzas.

Era só naquele final de semana. Eu falei tudo bem, que não teria problema , eram só dois dias.

Eu sempre gostei de me vestir bem a vontade, mesmo estando em casa. No sábado eu fui fazer o almoço para Ele, estava vestida com uma bermuda bem apertada e blusinha com decote que mostrava bem os seios, mas nada de anormal. Não usava sutiã porque o dia estava muito quente, meus seios não são caídos, e a camiseta resolvia.

Cheguei na porta da casa eram aproximadamente 9 horas, e a casa totalmente fechada. Toquei a campainha e logo apareceu Ele sorrindo e me cumprimentando com beijinho no rosto. Senti um cheiro de sexo dentro da casa e imaginei que o Lucas devia ter ficado a noite toda no computado vendo filme de sexo e batido muitas punhetas. A gente sabe como são esses meninos nessa idade.. rsrsrsrs.

Na hora dei um sorriso e entrei. Fui para a cozinha e Ele foi para o Sofá ver TV. Estava de bermuda e sem camiseta. .

Quando estava fazendo a comida, Comecei a perceber que toda hora ele estava vindo na cozinha pegar alguma, e sempre ficava olhando para os meus seios e a minha bunda. Isso ocorria de 10 em 10 minutos. Chegou uma hora que ele chegou bem perto e perguntou se eu precisava de ajuda.​ Eu disse que não precisava, mais fiquei toda arrepiada, porque Ele colocou a mão na minha cintura.

Falou​ que​ mesmo assim ia me ajudar.​ Ficou na cozinha e conforme me ajudava a gente ia​ conversando. Percebi que ele não tirava o olho dos meus seios e sempre ficava bem perto de mim. Vez ou outra disfarçava e esbarrava em mim como querendo ficar roçando. Comecei a prestar atenção nele.

Estava inquieto, tremendo.Seus olhos sempre na direção dos meus seios. Fiquei imaginando que Ele estava cheia de tesão e Eu uma mulher gostosa ali tão perto, o deixava com mais tesão ainda.

Comecei a gostar da situação.Estava ficando molhadinha. Só estavam nós dois naquela casa imensa, toda fechada, sem ninguém​ por perto.

Não sei o que me deu, mas comecei ficar me exibindo. Me inclinava sobre a pia deixando quase todo meu seio a vista, me abaixava para​ pegar alguma coisa na geladeira com a bunda bem empinada.

Passava por trás dele e dava um jeito de encostar meu corpo nele. A brincadeira estava gostosa. Teve um momento que pedi para Ele apanhar uma panela no alto de armário. Pegou uma cadeira e subiu. Eu fui e me encostei como se tivesse segurando para não cair. apertei meus seios nas suas pernas para Ele sentir a maciez e os biquinhos duros nas suas pernas cabeludas.

Quando estava do meu lado, notava sua excitação. Para disfarçar, colocou seu pinto bem pra cima, perto do elástico da bermuda, mas eu notava de canto de olho.

Uma hora que me abaixei para pegar uma colher que caiu no chão, Ele bem safadinho deu um tapinha no meu bumbum, falando que tinha uma bunda bonita. Olhei com uma cara de safada e dei risada, agradecendo o Elogio. Eu sentia minha xaninha molhada,​ estava com tesão, mas não podia perder o controle, afinal era o filho de minha amiga e Eu era uma mulher casada.​

continua depois da publicidade

Depois de fazer​ o almoço, disse-lhe que voltaria noutro dia, me despedindo com um beijinho em seu rosto. Ele agradeceu e falou em tom de brincadeira; – Obrigado Dona Júlia , quem sabe amanhã dê um domingo de sol e a Senhora venha com aquele vestido de florzinha que a senhora tem.

Dei uma risada e falei… -Quem sabe né Lucas, se der calor Eu use.​ Dei uma risada, saindo em seguida. Cheguei em casa, fui direto para o banheiro olhar minha calcinha que estava totalmente ensopada. Meu tesão estava a mil, Não via a hora de chegar a tarde e pular em cima de meu marido. Foi o que fiz. Depois do almoço meu marido sempre vai descansar.​

Fui até o quarto e fechei a porta por dentro. Não deu nem meia hora depois do almoço comecei a passar a mão no pau dele. Foi ficando duro. Tirei sua cueca e caí de boca. Deixei Ele bem excitado. Meu marido não entendia nada, pois não costumava fazer aquilo, mas o pau duro era mais forte que seus pensamentos. Tirei toda minha roupa e fui pra cima daquele pau duro.​ Encaixei bem dentro de mim e cavalguei igual uma louca. Meus pensamentos era no Lucas que devia estar​ se matando na punheta pensando em mim.

Gozei uma, duas, três vezes, até que meu marido me encheu de porra.​

No domingo acordei cedo, fiz meu almoço. Depois tomei um banho e fiquei imaginando se colocava o vestido ou não. Decidi atender o pedido do menino, afinal não iria acontecer nada, apenas iria deixá-lo mais excitado para se inspirar mais nas suas punhetas da tarde. Coloquei uma calcinha bem pequena e o vestido que Ele pediu e fui para casa dele.

Nove e meia estava Eu na campainha da casa dele. Veio me atender e cumprimentou com beijinhos no rosto. Notei que tinha tomado banho, porque o cabelo ainda estava molhado.

Novamente veio para a cozinha ajudar e conversar. Vez ou outra esbarrava em mim, como se quisesse me tocar. Comecei a ficar excitada. Era uma sensação gostosa saber que aquele rapaz me queria.

Teve uma hora que estava no fogão mexendo o molho , e ele chegou por trás me encoxando, disse que a comida estava com um cheiro muito bom.​ Eu com aquele vestido fino sentia a pau super duro precionando minha bunda. Eu perdi a noção de tudo e fiz de conta que não percebia nada.​ Ele continuou atrás de mim , roçando a sua rola na minha bunda.

Fui ficando molhadinha de tesão. Fechei os olhos e deixei.​ Foi que ele me encoxando e começou a pegar nos meus seios. Com pinto duro roçando na minha bunda e as mãos nos meus seios, apoiei as mãos na pia e empinei a bunda para Ele. Não demorou e uma das mãos subiram por baixo do vestido e tocavam minha xaninha por cima da calcinha. Levantou meu vestido e foi puxando minha calcinha. Eu com muito tesão fui deixando.

por ser novo e sem experiência, tomado pelo tesão, baixou sua bermuda e já queria enfiar na minha bucetinha. Eu não deixei, me virei e dei um empurrão. Falei para ele que não era assim que se tratava uma mulher. Que aquilo não podia acontecer e que Ele não poderia falar para ninguém, nem pra sua mãe. Que se Ele falasse Eu ia desmentir e ia ficar ruim pra Ele. Concordou comigo balançando a cabeça.

Então desabotoei a bermuda, peguei no no pau super duro que tinha + ou -1 7 cm, era grossinho, e comecei a bater uma punhetinha bem de leve. Em seguida me abaixei comecei a chupar. Ele gemia e tremia ao mesmo tempo. Vendo que ia gozar parei. Fiquei encostada na pia e falei para ele enfiar o dedinho primeiro na minha bucetinha , mais ele não tinha experiência , e já queria comer e enfiar rapidamente.

Eu disse para irmos no quarto da mãe dele. Tirei toda roupa, deitei na cama, chamei Ele e mandei chupar minha xaninha. Ele caiu de boca na Xana toda molhada. Chupava forte, parecendo um louquinho. Não demorou muito e meu gozo veio forte me fazendo gemer alto. Quando acabou a contração do gozo, chamei Ele e mandei enfiar.
Ele deitou em cima de mim e o pau foi procurando o buraco de minha Xana. Entrou tudo e Ele começou a bombar bem rápido e forte. Ficou bombando por uns cinco minutos e meu gozo veio novamente. Agarrei firme pelas costas puxando firme. Ele começou a gemer e senti seu pau pulsar dentro de mim, jogando porra bem no fundo. Ficou algum tempo agarrado ao meu corpo.

Seu pau não amoleceu, e eu fiquei de quatro na cama para ele meter novamente. Meteu com vontade me tirando outro gozo e gozando mais uma vez dentro de mim.

Já eram onze horas e tinha que ir embora. Me lavei e fui para casa. Almocei e fiquei imaginando a loucura que tinha feito. Agora era torcer para Ele não falar nada Na segunda feira minha amiga me ligou para agradecer por ter feito comida para o menino dela.

Ele as vezes fala comigo pelo WhatsApp, insinuando querer de novo, mas sempre digo que vou pensar no assunto e que se Ele cumprir a promessa de não falar nada, quem sabe faça novamente.

1 comentário sobre “Tudo por acaso

Deixe um comentário


Online porn video at mobile phone